A história da APAE Cataguases

A história da APAE Cataguases

          A  história da APAE  de Cataguases, assemelha-se  à de uma semente robusta que lançada pelo lavrador cuidadoso no solo fértil, recebendo o calor do sol  e regada pela chuva fina que umedece a terra, germina, lançando na natureza o ramo verde da esperança de tornar-se a árvore frondosa que à sua sombra acolherá o viajor cansado. Que dará frutos sazonados àqueles que com fome de afeto e cuidados encontrarão  mãos amigas para minimizar as suas carências. 

             Dr. Fernando de Oliveira, engenheiro civil, funcionário do Banco do Brasil em Cataguases, teve a luminosa idéia de fundar no solo cataguasense uma instituição que pudesse acolher uma população especial de crianças e adolescentes que viviam nas periferias de Cataguases se movimentando nas sombras de um preconceito cruel por terem nascido em desacordo com os modelos de seres humanos apresentados pela sociedade. Entre paredes, solitários, o portador de necessidades especiais, principalmente a intelectuais e físicas graves não eram reconhecidas como seres humanos, filhos do mesmo Pai “Deus,” dotados de potenciais que aguardavam sob o guante da ignorância da época, uma mente aberta, com coração sensível que pudesse vê-los com um olhar de confiança, e certeza de quem olha, e acredita, mesmo na aridez do deserto, que a chuva,  no tempo certo, depois de longo período de secura faz germinar as vidas adormecidas que ali aguardavam o momento favorável para colorir a natureza em toda a sua exuberância. 

               Dr. Fernando, abraçando a árdua tarefa de construir a APAE, reuniu um grupo de trabalhadores voluntários, de todos os seguimentos sociais, religiosos, e coloca com eles mãos a obra, e numa área de terra doada pela generosa alma de dona Etelvina  Menezes, que também fora mãe de uma filha, já falecida, com necessidades especiais, começa a edificação da tão sonhada instituição que ao longo dos seus 47 anos de serviços prestados à comunidade de Cataguases, tem comprovado que as diferenças que detectamos não se encontram nas pessoas, mas no olhar preconceituoso que lançamos sobre elas. 

                  O portador de necessidades especiais são seres como nós, que tem um coração que sente, uma alma que palpita e sonha: Que tem uma mente, que apesar de tolhida pelas lesões de um cérebro, anseia viver as glórias que são oferecidas por Deus a todas as suas criações que surgem no verme para alcançar a condição do arcanjo. 

                     Falar da APAE não é só falar dos  êxitos alcançados ao longo dos anos, mas é ter ainda as lembranças das noites de insônia pelas incertezas do futuro; É ter ainda no rosto as marcas das lágrimas que nos faziam e ainda fazer companhia, não obstante muitas sejam de alegria, de prazer diante de uma nova conquista. 

                       APAE! Um sonho que não para de ser sonhado… Pelos seus corredores se movimentam e fazem parte desses sonhos os alunos da Escola Oficina Iracema Meneses, atualmente atendendo a 152 alunos do ensino fundamental, que freqüentam os dois turnos.  O sonho primeiro dos seus fundadores, que era o tratamento da saúde mental e física dos usuários,  ainda povoam as dependências da instituição para atender 90 pacientes, desde a primeira infância até a idade adulta,  nos setores de psicologia, neurologia, fisioterapia, fonoaudiologia.  O acolhimento aos familiares dos alunos e usuários da APAE também fazem parte das nossas ações diárias de segunda a sexta feira nos horários de 7:00  às 17:00 horas. 

                         Mas, o tempo passa e nós caminhamos com ele  evitando terminar esta jornada que vai nos tornando seres mais conscientes em decorrência das  experiências colhidas ao longo de todos esses anos, juntos de seres tão especiais. Vamos nos construindo e reconstruindo para assumirmos o nosso papel de cidadãos cósmicos. 

                          E foi com este olhar que  vislumbramos um momento significativo na vida dos nossos alunos que terminaram todo o percurso escolar. O que oferecer agora? Mercado de trabalho fechado em conseqüência  da incapacidade para o desempenho das tarefas que podem ser oferecida ao portador de necessidades especiais. Diante desta evidência, a  partir dos 18 anos estes alunos e seus familiares são aconchegados ao novo espaço da APAE. “ O Centro Dia” que desde 2015, pela iniciativa da Federação do Estado de Minas Gerais,  trouxe de volta para o ambiente apaeano  estes usuários, que atualmente são 30,  atendidos por uma equipe multidisciplinar,  composta de Assistente Social, Psicólogo, Educadoras sociais, coordenadora e a instituição agregou ainda à equipe um técnico em jardinagem que dá junto com os usuários um colorido e um sabor diferente na pequena horta que ocupa um espaço da nossa área disponível. Temos ainda,  funcionando, uma oficina de artesanato, um Bazar das Mães, onde são fabricadas peças de roupa de cama, banho, mesa, e outros produtos de uso doméstico.  Temos trabalhado  para alcançar os objetivos desta unidade de assistência social – Centro Dia- que é garantir aos usuários a sua autonomia e capacidade de se movimentarem na comunidade, participando da vida social e sendo reconhecidos como cidadãos comuns, com direitos e deveres inseridos na nossa constituição . Os sonhos não param! As esperanças não fenecem. Porém escassos são os recursos financeiros mantidos pelos governos federal, estadual , municipal  a comunidade e eventos realizados pela instituição,  para ampliarmos as nossas ofertas que estão na dependência de contratação de profissionais  e da manutenção daqueles que já integram a equipe do Centro Dia, da áreas de saúde e da Educação. 

                Para muitos esta história pode ser comum à de tantas outras instituições que se movimentam no dia a dia do nosso Brasil. Isto é uma grande verdade. Mas para cada uma delas os sonhos são diferentes porque cada coração, cada mente, vibra na faixa própria e única das suas emoções e por isto, mesmo parecendo iguais, cada uma é uma realidade e tem a crença de que a sua história é a mais especial. 

Marlene Rodrigues Lima- Coordenadora do Centro Dia