Mercado de Trabalho direcionado ao Ensino Profissional

Mercado de Trabalho direcionado ao Ensino Profissional

Conexão com especialista #30

O Trabalho é uma atividade humana de caráter racional, definido na obra de Saviani (2007) como função sob suas necessidades, “Ora, o ato de agir sobre a natureza transformando-a em função das necessidades humanas é o que conhecemos com o nome de trabalho. Podemos, pois, dizer que a essência do homem é o trabalho.”; também é pertinente abordar, que para o escritor o trabalho e a educação compõem a identidade individual, “Diríamos, pois, que no ponto de partida a relação entre trabalho e educação é uma relação de identidade. Os homens aprendiam a produzir sua existência no próprio ato de produzi-la.”

Para Frigotto (2009), o trabalho jamais deve ser visto como atividade de essência humana, e sim uma função humana, a percepção da vida transcende quaisquer atividades de necessidade que perpetuam a nossa sobrevivência de forma determinada, nesse sentido, considere a relevância do labor enquanto meio de sustento, é importante que desde a infância todos tenham esse conceito formado, a importância do trabalho, no entanto, observadas as individualidades do trabalhador.

A formação técnica se trata de uma parte basilar frente ao mercado de trabalho. São serviços essenciais a qualquer setor produtivo e/ou de serviços, no qual, o engenheiro estará coordenando vários técnicos, que por sua vez, estarão coordenando os auxiliares e desenvolvendo o mercado de trabalho.

A bagagem dos cursos técnicos se enfatiza pela junção da teoria e da prática, de modo a proporcionar aos profissionais as habilidades e flexibilidade necessárias para acompanhar as transformações do mercado.

Segundo o Mapa do Trabalho Industrial 2019-2023, composto pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI), que visa conduzir a oferta de cursos, demonstra que o país necessitará da qualificação de 10,5 milhões de trabalhadores nos níveis superior, técnico, qualificação profissional e aperfeiçoamento.

Tendo em vista a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB), é pertinente abordar a determinação de arquitetar o exercício de profissões, auxiliando ao indivíduo na inserção e atuação no mundo do trabalho, e de forma a contribuir com a manutenção social.

A educação profissional brasileira contribui para a melhoria da concorrência industrial. O investimento em tal estrutura de ensino tem por referencial permitir o retorno do desenvolvimento econômico, proporcionando melhores oportunidades de empregos e rendas familiares.

Entende-se, assim, que a formação técnica é promotora de uma aprendizagem voltada à apropriação de conhecimentos e conceitos que vão preparar o aluno para o mercado de trabalho.

REFERÊNCIAS

FRIGOTTO, Gaudêncio. A polissemia da categoria trabalho e a batalha das ideias nas sociedades de classe. Revista Brasileira de Educação. v. 14, n. 40, p. 168-194, jan./abr. 2009

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. Educação Profissional e Tecnológica (EPT), s.d. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/educacao-profissional-e-tecnologica-ept#:~:text=A%20educa%C3%A7%C3%A3o%20profissional%20e%20tecnol%C3%B3gica,e%20na%20vida%20em%20sociedade>. Acesso em: 20 de jul. de 2021.

PORTAL DA INDÚSTRIA. Entenda o que é educação profissional e qual a sua importância, s.d. Disponível em:<http://www.portaldaindustria.com.br/industria-de-a-z/educacao-profissional/>. Acesso em: 25 de jul. de 2021.

SAVIANI, Dermeval. O choque teórico da Politécnica. Trab. educ. saúde [online]. 2003, vol.1, n.1