O papel da Gestão na eficácia da Instituição Escolar

O papel da Gestão na eficácia da Instituição Escolar

Conexão com especialista #18 – ANA PAULA DE MOURA FERREIRA DIAS

Diversas pesquisas já foram realizadas para a identificação das possíveis características escolares promotoras da eficácia de uma instituição educativa. Considerando os fatores extra e intraescolares enquanto agentes influenciadores para a promoção da educação de qualidade com equidade, é preciso destacar a impossibilidade de apresentar conclusões deterministas sobre o que funciona em educação, pois cada escola é única e possui suas características próprias e contextuais, como localização, perfil dos estudantes, infraestrutura, recursos disponíveis e a qualidade e engajamento dos profissionais, especialmente de seus professores.

Além disso, é possível considerar que não existe uma combinação simples de fatores capazes de promover uma escola totalmente eficaz, e Sammons et. al. (1994) destacam a necessidade de estudos de casos adicionais em escolas ineficazes e eficazes para aprimorar a compreensão do sentido de eficácia.

Entretanto, Franco e Bonamino (2005) concluem que, dentre os diversos fatores intraescolares observados em suas pesquisas, é possível perceber aqueles que estão associados à maior eficácia escolar, como por exemplo, a formação dos professores, o trabalho docente cooperativo, comprometimento com os resultados dos estudantes, clima acadêmico favorável, ênfase em habilidades de alta ordem, clima disciplinar, além dos recursos financeiros e pedagógicos”.

Além destes fatores, Bonamino (2005) destaca o conjunto de construtos que servem de base para as questões relacionadas aos fatores de eficácia da escola, indicando aspectos diferenciais na gestão institucional, destacando a importância do envolvimento do gestor nas questões pedagógicas e do seu apoio sistemático nas atividades desenvolvidas pelos professores. Neste sentido, é possível considerar que um dos fatores-chave intraescolares influenciadores no sucesso de uma unidade escolar está relacionado à liderança institucional e técnica do seu gestor, o que pressupõe a clareza dos valores e objetivos a serem alcançados, a capacidade de estabelecer diretrizes gerais para a ação coletiva e de lidar com as mudanças, a promoção de tempo e espaço para o desenvolvimento profissional da equipe e o aproveitamento do potencial humano e dos recursos disponíveis.

Ainda sobre o fator-chave liderança do gestor escolar, é necessário destacar algumas habilidades fundamentais que envolvem a firmeza e objetividade na atuação deste profissional, considerando a busca de Unidade da equipe diante das situações que envolvem a mediação das relações, o que pressupõe a habilidade de intervenção diante dos desafios e situações externas capazes de impactar, negativamente, nos resultados pretendidos.

Sammons et. al. (1994) enfocam, também, a gestão participativa como outra característica fundamental observada nos gestores eficazes, considerando “o compartilhamento
de responsabilidades de liderança com outros membros da equipe gestora e o
envolvimento mais geral dos professores no processo de tomada de decisão.” Neste sentido, vale reforçar a importância da articulação e clareza na comunicação entre todos os envolvidos, garantindo a unidade de propósitos e a construção de uma identidade institucional coerente com os objetivos pretendidos.

Além das habilidades citadas até aqui, é possível perceber a importância de práticas fundamentais na gestão escolar, como por exemplo a oportunização de um clima escolar focado nos processos que envolvem o ensino e aprendizagem, que priorizem os resultados acadêmicos e de qualidade, considerando a organização curricular eficiente, com práticas adaptadas à realidade dos estudantes, o compartilhamento e divulgação das ações desenvolvidas pela escola, o fortalecimento da parceria entre escola e comunidade, aqui considerando todos os tipos de parcerias estabelecidas com as famílias, instituições em geral e membros da comunidade local. Neste sentido, com relação à parceria com as famílias, Sammons et. al. (1984, apud Polon, 2009)apresentam dados que mostram que as relações de apoio e cooperação entre casa e escola têm efeitos positivos sobre a aprendizagem dos estudantes e, consequentemente, na eficácia escolar. Ou seja, quando a liderança escolar abre espaços para que os pais participem ativamente nos processos educativos, prevalecendo o clima de colaboração, apoio e confiança mútua, os resultados da instituição educativa tendem a melhorar, uma vez que prevalece a corresponsabilidade coletiva diante do mesmo objetivo.

Para finalizar, outra prática fundamental na gestão escolar capaz de contribuir para a eficácia do processo educativo, diz respeito ao monitoramento das aprendizagens, ao acompanhamento individual do desenvolvimento dos estudantes, de cada turma emparticular e da escola como um todo. Trata-se da gestão pedagógica como eixo central do processo educativo, o que compreende habilidades essenciais e indissociáveis dos projetos metodológicos, do gerenciamento de recursos humanos e da organização da rotina administrativa escolar. Neste sentido, o gestor deve motivar os professores para o aperfeiçoamento contínuo e o desenvolvimento de práticas de ensino inovadoras e eficazes e, ao mesmo tempo, incentivar a participação efetiva dos estudantes, intensificando o desejo interno de aprenderem sempre mais. Além disso, o monitoramento das aprendizagens permite ao gestor e sua equipe identificar pontos específicos que precisam de ajustes, buscando, sempre que necessário, as alternativas para proceder ao acerto das rotas e metas quando os resultados indicam qualquer problema relacionado à eficiência da escola.

Assim, mesmo diante da impossibilidade de apresentar conclusões deterministas sobre o que funciona em educação, observa-se o papel fundamental do gestor escolar na construção de uma escola mais funcional e humanizada, que atenda aos parâmetros educacionais estabelecidos pela unidade escolar e o seu currículo. É possível perceber que o sucesso dos estudantes é influenciado pela liderança deste profissional que deve ter a capacidade de persuadir e inspirar por meio de uma comunicação ativa e eficaz, através do conhecimento técnico e da argumentação consistente, mantendo a clareza na exposição de ideias, sempre buscando, coletivamente, por soluções para os problemas diários e instigando as pessoas ao seu redor a exporem suas potencialidades e a sentirem-se confortáveis, capazes e confiantes diante de um único propósito que é estabelecer e fortalecer vínculos para a promoção das aprendizagens e a formação integral dos sujeitos. Portanto, o gestor escolar, enquanto líder do processo educativo, deve reconhecer a importância do engajamento da equipe, considerando que quanto mais ela estiver preparada para realizar o que se pretende, quanto maior a nitidez de aonde desejam chegar, quanto mais dispuserem de ferramentas para colocarem em prática o que pretendem, maior a possibilidade de êxito e eficácia da escola.

 

 

Referências:

BONAMINO, Alicia M. C. – Colaboração entre Metodologias Quantitativas e Qualitativas na Pesquisa sobre características intra-escolares promotoras de aprendizagem. 90p. Relatório de Pesquisa Projeto Geres. Departamento de Educação. Programa de Pós-Graduação em Educação. PUC-Rio, 2005.(Mimeo)

FRANCO e BONAMINO. A Pesquisa sobre Características de Escolas Eficazes no Brasil : breve revisão dos principais achados e alguns problemas em aberto. Disponível em www.lppuerj.net/olped/documentos/2081.pdf

FRANCO, C. et al. Qualidade e equidade em educação: reconsiderando o significado de ―fatores intra-escolares. Rio de Janeiro: PUC, 2007.

POLON, Thelma Lucia Pinto. Identificação dos perfis de liderança e características relacionadas à gestão pedagógica eficaz nas escolas participantes do Projeto Geres: Estudo Longitudinal Geração Escolar 2005 – Pólo Rio de Janeiro.323p.Tese de Doutorado – Departamento de Educação da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, 2009.

POLON, Thelma Lucia P. Perfis de Liderança e seus reflexos na Gestão Escolar. In: 34a Reunião Anual da ANPED, 2011, Anais… Natal/RN: Centro de Convenções, 2011. Disponível em: http://34reuniao.anped.org.br/images/trabalhos/GT14/GT14-965%20int.pdf

SAMMONS, P., THOMAS, S., MORTIMORE, P., OWEN, C. & PENNELL, H. (1994) Avaliação da Eficácia escolar: Desenvolvendo Medidas para Contextualizar o Desempenho Escolar, Londres: OFSTED/Institute of Education University of London

SAMMONS, Pam. As características-chave das escolas eficazes. In: BROOKE, Nigel; SOARES, José Francisco. (Org.). Pesquisa em eficácia escolar: origem e trajetórias. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 2008. p. 335-392.

ANA PAULA DE MOURA FERREIRA DIAS, tem formação em Pedagogia pela FIC –  UNIS e mestrado em Gestão e Avaliação da Educação Pública pelo PPGP/CAEd/UFJF. Já atuou como professora nas redes pública e privada, como supervisora escolar, técnica da educação, analista educacional e assessora pedagógica. Desde julho de 2019, está atuando como Superintendente Regional de Ensino na SRE Leopoldina.