A IMPORTÂNCIA DO PERFIL COMPORTAMENTAL NA CONTRATAÇÃO DE NOVOS COLABORADORES

A IMPORTÂNCIA DO PERFIL COMPORTAMENTAL NA CONTRATAÇÃO DE NOVOS COLABORADORES

Conexão com especialista #017 – Polyanna de Paula Campos

Nos tempos de outrora, bastava uma graduação para se estar à frente dos concorrentes no mercado de trabalho. Nosso cenário atual, contempla novos horizontes, que nos mostram que são necessárias outras aptidões além do conhecimento técnico e da graduação. Vale ressaltar que, a formação acadêmica não será posta de lado no momento da escolha de um novo colaborador, mas não se pode omitir o fato de as empresas buscarem cada vez mais, profissionais que tenham facilidade em se adaptar às mudanças ocorridas no mercado de trabalho, ou seja, profissionais que possuam além das habilidades técnicas, as habilidades pessoais, que atualmente são o grande diferencial nas contratações de novos funcionários.

Temos passado por vários divisores de tempo, entre eles a era digital, que possibilita aos candidatos às vagas, uma maior diversidade de capacitações e uma gama de conhecimentos que antes não eram evidenciados. E muitas Multinacionais já inseridas no novo modelo de Recursos Humanos, o RH 4.0 (que busca um maior engajamento entre os colaboradores), buscam por estes profissionais, que consigam se posicionar frente a essas mudanças, oferecendo às empresas além do conhecimento, a capacidade de se adaptar ao novo. Importante citar que, no mundo empresarial têm sido muito discutidas as habilidades dos colaboradores. Os recrutadores analisam em um processo de seleção, as habilidades técnicas, as chamadas Hard Skills e as habilidades comportamentais, as Soft Skills. Muitas grandes empresas têm valorizado as Soft Skills, nas quais se destacam algumas habilidades a saber:

Profissionais com empatia dentro e fora do ambiente de trabalho;

Motivação (saber motivar a equipe e o ambiente de atuação);

Interação com colegas de trabalho;

Excelente capacidade de comunicação.

Em uma análise particular, é possível perceber que diante das mudanças que estão acontecendo no setor profissional, os perfis Soft Skills, que são detentores das competências comportamentais citadas anteriormente, ganham cada vez mais credibilidade junto aos gestores.  O porquê desse espaço e credibilidade se dá pelo simples fato de gestores e organizações estarem interessados em perfis com habilidades comportamentais, emocionais e sociais.

Em análise, essa preferência é bem simples de ser explicada. Para se tornar um profissional Hard Skill, por exemplo, é necessário não mais que conhecimentos em livros e aprendizados em cursos e graduações. Sabemos que as Hard Skills são habilidades tangíveis, tais comooperar máquinas por exemplo ou ser habilitado para desempenhar uma função determinada pela organização.Logo, um profissional que busca uma qualificação em sua área de afinidade, irá conseguir se qualificar para tal.

Em uma visão geral, fica evidente a ideia de que não existe uma matéria acadêmica que ensine como ser relacional ou flexível. Essa é uma habilidade comum a um número de pessoas, porém muitos profissionais de diversas áreas, se intitulam menos sociáveis, tanto no ambiente pessoal como no ambiente de trabalho. Portanto, nem todos os detentores das habilidades técnicas, possuem também as habilidades comportamentais. Com efeito, esse é o ponto de partida para a preferência, no mercado atual, por candidatos que possuam as Soft Skills, pois havendo necessidade de outras competências específicas ou técnicas, o colaborador poderá se capacitar. Além do fato de que os profissionais de Recursos Humanos estão sempre buscando mapear competências que levam em conta talentos comportamentais e não somente competências técnicas.

O Psicólogo Daniel Goleman, em sua obra “Inteligência Emocional” afirma que: “habilidades como resiliência, empatia, colaboração e comunicação são todas competências baseadas na inteligência emocional e que distinguem profissionais incríveis dos medianos”. Paralelo a esta afirmação, é possível observar as empresas, que estão em constante busca por profissionais com iniciativa, criatividade, boa comunicação e liderança. Pois estes, estão em contínuo aprendizado, não necessitando de estímulos externos.

Não menos importante, é o fato de as empresas,administradores e líderes estarem se adaptando também às novas mudanças impostas pelo novo contexto profissional. O cenário moderno imprimiu uma nova postura destesadministradores, que atualmente precisam ser grandes motivadores dos novos colaboradores, além de saberemouvir, propor soluções e possuírem capacidades denegociação com os mesmos.

Em linhas gerais, as Empresas 4.0, captam os profissionais que possuem bom relacionamento interpessoal, para que além de promover um setor de trabalho harmonioso, com menos conflitos internos, esses profissionais possam também contribuir para o crescimento da organização, pois são eles uns dos grandes mestres no que diz respeito à desenvoltura, para estabelecer boas relações comerciais.

 

Referências Bibliográficas:

GOLEMAN, Daniel. Inteligência Emocional: a teoria revolucionária que redefine o que é ser inteligente. 2 ed. Rio de Janeiro: Objetiva, 2012.

Ibe.edu.br/mercado-de-trabalho-especialistas-apontam-o-perfil-do-novo-trabalhador

https://fellipelli.com.br/soft-skills-valiosas-competencias-comportamentais-futuro/