FIGURAS ILUSTRES DE CATAGUASES – O ADMIRÁVEL MANUEL DAS NEVES

FIGURAS ILUSTRES DE CATAGUASES – O ADMIRÁVEL MANUEL DAS NEVES

Conexão com especialista #03 – Professor Joaquim Branco

Minha visão do advogado, escritor e professor Manuel das Neves, devido a minha faixa etária, compreende algumas décadas de acompanhamento e algumadistância proporcionada por compromissos profissionais diferenciados.

Foi assim que pude aproveitar, na minha época de estudante,  algo do périplo desse múltiplo Manuel que topava todas as paradas com espírito de menino, a olhar curioso e travesso e com a inteligência em dia os fatos e atos ao redor.

Conheci-o no início dos anos 50 como o indefectível diretor do Colégio Cataguases – um Aristarco às avessas –, cuja presença inspirava antes respeito e nunca medo. Nas reprimendas a  nós, alunos, sabia a medida certa, o carinho e o peso das palavras, não sem esquecer o  célebre e anasalado “É lamentaaaável!”, quando a situação pedia.

Depois, já no antigo curso científico, como professor de história geral, o vejo teatralizando cenas do panteão universal na sua mesa de trabalho. Seria um precursor do mestre do filme “Sociedade dos poetas mortos”, ao ensaiar a batalha de Waterloo com a tristeza de Napoleão derrotado, ou mostrando como o cavalo de Átila rasgava a grama e soltava fogo pelas narinas, ou o poderoso exército de Alexandre, o Grande, descendo a Macedônia e escalando montanhas e conquistando o império persa, para desafiar, em seguida todo o mundo antigo. Das carteiras escolares, víamos os inimigos tremendo ante aquele super guerreiro montado num elefante. O império romano, como nos filmes de Cecil B.de Mille, e destruindo tudo que estivesse à frente; a neblina e as tempestades varrendo as naus do descobrimento de Cabral contra as pedras; Colombo assentando o ovo sobre a mesa dos reis espanhóis; a Europa pisada pelas botas da  I e II Grande Guerra Mundial, e outros, muitos acontecimentos narrados pelo talento que me assombrou a juventude e que vocês já podem adivinhar como.

Mais do que um professor de História, era o grande professor de histórias fantásticas.

Deixou o livro de crônicas “Reta da Saudade” (1981) e uma antologia organizada por Aquiles Branco intitulada “O admirável Manuel das Neves”(2011).

Joaquim Branco Ribeiro Filho, possui graduação em Direito pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (1966); Graduação em Letras – Faculdades Integradas de Cataguases (1975). Mestrado em Literatura Brasileira pelo Centro de Ensino Superior de Juiz de Fora (2001). Doutorado em Literatura Comparada pela UERJ (2006). Tem experiência na área de Letras, com ênfase em Literatura Brasileira, atuando principalmente nos seguintes temas: crítica, poesia, ficção, literatura comparada, e na área de Língua Linguagem: Produção de Textos. Lecionou por 17 anos na FIC – Faculdades Integradas de Cataguases. Acesse o currículo completo do autor através do link: http://lattes.cnpq.br/3526094772745768